Blog

Blog

A equipe do Coletivo Inclusão se reuniu no início do mês para alinhamentos em torno da retomada  das atividades do segundo semestre de 2019. Na reunião também foram abordados assuntos como a sensibilização de novos apoiadores, o aumento do número de aulas semanais de capoeira, o trabalho em rede, entre outros.

O gestor do Coletivo, Vitto Matheus Peruzzo, e o coordenador, André Caminski, conduziram a reunião, que aconteceu no dia 09 de agosto. Estiveram presentes professores e demais colaboradores da entidade.

Mobilização e sensibilização

André Caminski iniciou o encontro falando sobre a importância de mobilizar e sensibilizar pessoas que possam contribuir para o Coletivo Inclusão. Ele explicou que essa é uma das formas da ONG continuar fazendo a diferença na vida das pessoas.

A ideia é começar apresentando o Coletivo a pessoas que sejam próximas de quem já faz parte da equipe. A partir de uma série de ações, será levado ao conhecimento do público todo o trabalho desenvolvido pelo Coletivo. Assim, por meio dessa sensibilização, o objetivo é angariar novos apoiadores.

É importante dizer, conforme destacou Vitto Matheus Peruzzo, que a arrecadação de fundos através de doações possibilitará a manutenção de toda a estrutura necessária para o bom funcionamento do Coletivo Inclusão.

Vale lembrar que a entidade já possui um canal de captação de apoio. Conheça as modalidades.

Aprovação de novo projeto

Peruzzo aproveitou a reunião para anunciar que mais um projeto do Coletivo foi aprovado pela Secretaria Estadual de Cultura (SEEC). Essa conquista garante a inclusão de mais um dia de oficina de capoeira por semana para os alunos da Apae Fazenda Rio Grande. Desta forma, a oficina está vigente pelo menos até junho de 2020.

Atualmente, essas aulas acontecem às quartas e quintas.

Trabalho em rede

O gestor e o coordenador do Coletivo Inclusão também aproveitaram a ocasião para reforçar a ideia do trabalho em rede. Primeiro, lembraram do encontro realizado em maio, com o CADI e o Grupo Marista. Depois, mencionaram a reunião com a Associação Comercial e Industrial de Fazenda Rio Grande (ACINFAZ), no início do mês passado.

Para o Coletivo Inclusão, o trabalho em rede resume-se a unir esforços para promover mudanças.

Avanços

Ao final da reunião, Vitto Matheus Peruzzo e André Caminski informaram aos presentes sobre algumas mudanças que devem acontecer nos próximos meses. Além da atualização do estatuto do Coletivo Inclusão, serão criados conselhos. Ambas as ações vão assegurar ainda mais transparência sobre as atividades da entidade.